logística reversa

Logística reversa: O que é, qual a importância e como aplicar

Equipe TOTVS | VENDAS | 03 setembro, 2021

A logística reversa é muito mais do que o processo de o cliente retornar uma mercadoria para o fabricante. Trata-se de todas as operações relacionadas ao reuso e descarte de materiais, resíduos e produtos em geral.

Pode até parecer um tema exclusivo às grandes organizações, mas saiba que há leis sobre o assunto no Brasil — que se aplicam a empresas de todos os tamanhos.

Porém, muito além de uma obrigação legal, a logística reversa é um tema de interesse público, especialmente em relação à proteção ao meio ambiente.

No seu micro ou pequeno negócio, como a logística reversa é encarada? Nunca pensou no assunto ou como funcionaria uma estratégia de logística reversa?

Então siga a leitura do nosso guia completo: vamos mergulhar no tema, te explicando detalhe a detalhe o que a logística reversa significa, como funciona, exemplos e muito mais. Confira!

Nova call to action

O que é a logística reversa?

Logística reversa representa todas as operações referentes ao reaproveitamento de produtos. Ou seja: reciclagem, recuperação de matéria-prima, reforma e revenda de itens que foram devolvidos ou retornaram à fabricante de alguma forma.

É por isso que a logística vai muito além da simples estratégia de devolução de um produto por parte do consumidor.

Na verdade, é isso e muito mais: inclui ainda o gerenciamento e a venda de excedentes, bem como a devolução de equipamentos e máquinas alugadas.

Entender como a logística reversa funciona na prática, porém, não é complicado.

Veja bem: a logística “convencional” lida com eventos que levam um produto até o cliente.

Já a logística reversa busca criar um caminho para que o produto (suas sobras ou resíduos) retrocedam na cadeia de suprimentos — ao menos uma etapa.

Isso quer dizer que qualquer processo de pós-venda já pode ser considerado parte da sua estratégia de logística reversa.

Pense o seguinte: digamos que um cliente da sua empresa de injeção de peças plásticas o informou que uma remessa possui defeitos.

Ele então o devolverá para sua empresa, mas como? É aí que a sua organização de logística reversa entra em ação.

É necessário organizar o transporte da remessa, sua testagem, desmontagem, conserto ou mesmo reciclagem ou descarte do mesmo.

A importância da logística reversa

A logística reversa é hoje um componente-chave de qualquer cadeia de suprimentos simplificada e bem-sucedida — independente do tamanho da empresa. Tem crucial importância na eficiência produtiva, na experiência do cliente e no cumprimento de leis ambientais.

Os principais objetivos da logística reversa são de recuperar valor de produção, bem como garantir a fidelização dos clientes — especialmente de negócios on-line.

Você sabia que pelo menos 30% dos itens pedidos on-line são devolvidos? Nas lojas físicas, esse índice é de apenas 10%, conforme dados da Invespcro

O Código de Defesa do Consumidor aborda o chamado direito de arrependimento por parte do cliente e a possibilidade de devolver um produto, sem ônus, dentro de sete dias, caso ele tenha sido comprado pela internet.

Isso significa que os e-commerces têm que estabelecer uma política de trocas e devolução, que envolve a coleta dos itens e os custos ligados a ela — e isso abrange a logística reversa.

Contudo, tal logística não é importante apenas para cumprir este tipo de obrigação. 

Ela também faz parte de um plano de política sustentável, como você verá mais adiante.

Assim, estabelecer este processo é um grande passo para que a marca cuide mais do meio ambiente, se posicione como um negócio que valoriza a sustentabilidade e tenha uma imagem positiva no mercado — diante de consumidores, investidores e outros interessados.

O retorno de alguns produtos ou resíduos também pode fazer com que eles se tornem matéria-prima para novos produtos, o que contribui ainda para a sustentabilidade econômica da empresa.

Principais vantagens da logística reversa

Mas o que a logística reversa pode agregar ao seu negócio, você já sabe? Além de estabelecer um canal pós-venda com o seu cliente, você pode obter outras vantagens, veja só:

Redução de custos

Com a logística reversa, é possível minimizar perdas relacionadas a devoluções. 

Afinal, o produto e sua matéria-prima não são totalmente descartadas, mas passam por diferentes processos, que podem incluir a venda dos mesmos — seja para reciclagem ou uso de segunda mão, em um sistema de economia circular.

Aumento do diferencial competitivo

Uma empresa com uma gestão de processos estabelecidos de logística reversa pode se destacar de várias formas no mercado.

O primeiro ponto é a possibilidade de se relacionar com o cliente no pós-venda, solucionando seus problemas de forma ágil e organizada.

Além disso, uma boa estratégia de logística reversa também configura mais oportunidades de receita, o que também contribui para o poder de investimento do negócio.

Sistema de responsabilidade compartilhada

A Política Nacional de Resíduos Sólidos definiu o conceito de responsabilidade compartilhada. Aqui, a encaramos como uma vantagem da logística reversa.

Afinal, propõe responsabilidades para cada player da cadeia de suprimentos (dos fabricantes até os consumidores, bem como serviços públicos de limpeza urbana) para o correto manejo dos produtos descartados e resíduos.

Dessa forma, é possível estabelecer uma cadeia de ações que vão além da própria empresa e beneficiam a todos.

O intuito é promover o melhor tratamento ao resíduo antes de seu descarte completo.

Adequação  à lei

E claro, adequar-se à logística reversa é também uma forma de entrar em compliance com a lei.

Mencionamos brevemente nos tópicos acima, mas vamos te explicar certinho qual a relação entre essa estratégia e a legislação nacional agora. Vamos lá?

Política Nacional de Resíduos Sólidos

logistica reversaA lei nº 12.305/10 chamada de Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos (fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, cidadãos e titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos) na logística reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo.

Deste modo, a lei procura viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou até mesmo em outra destinação final ambientalmente adequada.

Neste caso, a logística reversa está ligada a questões como descarte de pilhas e equipamentos eletrônicos e à reciclagem de óleo lubrificante, por exemplo.

É o processo que dá suporte para que as empresas estejam em conformidade com a legislação e as políticas de preservação do meio ambiente.

Logística Reversa e Economia Circular

 Um dos aspectos mais interessantes da logística reversa é a sua relação com o conceito de economia circular. Todo fluxo de retorno e processamento de produtos e embalagens faz parte do que essa concepção de economia prega, gerando assim valor para as empresas e para a sociedade.

Afinal, com a logística reversa, as empresas são colocadas em uma situação de fazer com que os resíduos, sobras e descartes de seus produtos sejam reinseridos na cadeia produtiva.

É algo que a economia circular prega.

Você sabe do que se trata esse conceito? Vamos lá:

A economia circular visa transformar o processo produtivo e de consumo como conhecemos. Em vez da linearidade atual (extração, produção, consumo e descarte), busca-se introduzir uma noção cíclica, em que há o compartilhamento, reutilização, remanufatura e reciclagem dos materiais.

No Brasil, de acordo com a CNI, 76% das indústrias afirmam já terem iniciativas relacionadas à economia circular.

O objetivo da economia circular não é simplesmente fomentar a sustentabilidade (embora seja um de seus pilares, é claro), mas também estimular movimentos como o ecodesign.

Como a logística reversa funciona

A logística reversa funciona por meio do estabelecimento de processos que possam mover as mercadorias em, pelo menos, uma etapa da cadeia de suprimentos (do cliente à distribuidora, por exemplo).

É um processo complexo, que pode envolver vários planejamentos e controles diferentes. Existem empresas que até mesmo terceirizam essa função.

Geralmente, o consumidor retorna os produtos ou resíduos para as empresas sem custo algum (é comum que as empresas cubram os custos de coleta ou envio) ou leva os materiais até algum ponto intermediário mais próximo.

A partir daí, são as empresas que dão continuidade ao processo.

Elas podem fazê-lo de incontáveis formas, mas o processo mais comum é de envio dos itens para reaproveitamento.

Existem empresas que enviam a parceiros de negócio que são responsáveis pela reciclagem ou reutilização — a parceria com cooperativas é muito comum nestes casos.

Pós-venda

A logística reversa pós-venda tem relação direta com as expectativas do cliente. Ou seja, produtos com defeitos, ou que foram enviados de maneira incorreta, ou mesmo em casos de arrependimento da compra.

É comum em lojas de roupas, por exemplo, quando uma peça comprada não serve ao consumidor.

A mercadoria é recolhida pela empresa e pode ser colocada à venda novamente.

Pós-consumo

Na logística reversa pós-consumo, o cliente consome o produto ou mercadoria e retorna sua embalagem para o fabricante. Também pode ser aplicado para produtos perecíveis vencidos.

É algo que acontece muito com cápsulas de café utilizadas em máquinas cafeteiras, por exemplo.

Reuso

Já a logística reversa de reuso é um pouco diferente, mas serve como fonte de receita para as empresas.

Funciona através da coleta de materiais e seus resíduos, que são então leiloados para outras empresas. Acontece muito com móveis, equipamentos e dispositivos eletrônicos e mesmo veículos.

Nova call to action

Exemplos práticos de aplicação da logística reversa

No mundo todo as empresas estão mudando a forma como tratam os resíduos. E é claro que a cadeia de suprimentos é uma grande parte dessa iniciativa. Como mencionamos, exemplos de logística reversa se concentram em devoluções, trocas e reciclagem de mercadorias.

Mas e na prática, de acordo com as indústrias, como funciona? Cada empresa estabelece seu processo.

No entanto, existem algumas indústrias que são realmente obrigadas a estabelecer estratégias de logística reversa.

É o caso das cadeias produtivas de defensivos agrícolas, pilhas e baterias, pneus, óleos lubrificantes, lâmpadas (luz mista, vapor de sódio e mercúrio ou fluorescentes), bem como produtos eletrônicos.

Cosméticos

Algumas empresas de cosméticos lidam com insumos químicos na produção de suas mercadorias.

Por isso, criam estratégias de logística reversa que facilitam o retorno dos resíduos inutilizados ou que sobraram, de forma que possam ser reutilizados em novos produtos.

Pneus

A indústria de pneus é uma que deve por obrigação legal estabelecer um processo de logística reversa.

Como é um material extremamente muito utilizado em outras indústrias, as fabricantes recolhem os pneus em seu fim de vida útil, os processam (triturando e picotando), para então vender a empresas que destinam a matéria-prima a outro fim, como solas de sapato e mesmo produção de asfalto.

Eletrônicos

Existem programas completos, com décadas de existência, para realização da logística reserva de lixo eletrônico.

Nesse caso, há alguns processos extra de avaliação dos materiais, entendendo para qual tratamento o lixo deve ser encaminhado (reciclagem, reutilização, etc).

A relação entre a logística reversa e a experiência do cliente

A logística reversa tem tudo a ver com a melhoria da experiência do seu cliente. É fato: sempre que sua empresa melhora um processo que afeta diretamente o consumidor, ela cria oportunidades de otimizar sua satisfação.

É algo que acontece com a logística reversa, pois ameniza um processo que muitas vezes é encarado como uma dor de cabeça e fonte de estresse.

Ao simplificar o processo de devolução, você pode melhorar a experiência desse cliente com sua empresa.

Pense bem, o quão inconveniente seria para o consumidor (já insatisfeito) ter que pagar pelo frete de devolução, atrasos nos reembolsos e outras complicações?

É a receita para o fracasso.

Com uma estratégia de logística reversa, você cria um canal de comunicação de pós-venda que é realmente eficaz e solucionador de problemas.

Além disso, evita custos extras desnecessários ao cliente, podendo agregar valor ao relacionamento com ele.

Logística reversa na prática: 6 dicas para implantar na sua empresa

A logística reversa, quando bem implantada, proporciona os benefícios já citados para a empresa. Mas, como isso pode ser feito? É o que explicamos nos próximos tópicos com três dicas para o seu negócio.

1. Estabeleça uma política voltada para a logística reversa

Antes de mais nada, é preciso criar uma política bem definida, com processos claros a respeito do que será feito.

Quando ela está ligada aos clientes como uma ação de pós-vendas, trata-se da política de trocas e devoluções (a qual estabelece as condições para que isso seja feito).

Quando se trata do recolhimento de produtos ou resíduos, ela ajuda a definir a periodicidade das coletas, os critérios para a seleção de parceiros, como deve ser feita a destinação dos itens, entre outros pontos.

2. Capacite a equipe

Seus funcionários normalmente só estão preparados para atender clientes com um foco: a venda.

Ao implementar uma estratégia de logística reversa, procure treiná-los em relação ao atendimento e resolução de problemas relacionados ao retorno de produtos defeituosos, bem como resíduos dos mesmos.

3. Adicione uma rota de coleta à rota de entrega

Se a sua empresa utiliza veículos próprios ou emprega entregadores destinados exclusivamente às entregas do seu negócio, eles vão precisar retornar para a empresa e, na maioria dos casos, os veículos estarão vazios, gerando um gasto com combustível sem qualquer retorno em troca.

Então, por que não fazer um planejamento de rotas para que este percurso de volta seja realizado coletando os materiais que serão devolvidos ou descartados?

Ao adotar esta prática, a empresa economiza nos custos com a operação e ainda consegue estabelecer a logística reversa sem ter que criar toda uma rotina à parte.

4. Comunique-se com os consumidores

Quando uma empresa faz campanhas para que as pilhas ou baterias de celulares sejam descartadas em locais corretos, trata-se de uma ação para reforçar ainda mais a prática da logística reversa.

Sendo assim, comunique-se com os clientes e informe-os a respeito das coletas (e seus devidos pontos) que são feitas.

Desta forma, eles ficam cientes de que a sua empresa realiza o processo e têm um incentivo a mais para participar dele.

Dependendo da situação, os seus parceiros de negócios também podem contribuir com esta campanha.

Um bom exemplo disso são as ONGs, que recolhem pneus velhos para utilizá-los em hortas comunitárias ou para fazer artesanato (como puffs) para arrecadar dinheiro para determinadas causas.

Diversas empresas já implantaram a logística reversa, seja para otimizar processos, reduzir custos, melhorar a relação com os clientes ou se adequar à legislação, por exemplo.

O seu negócio pode ser o próximo a se beneficiar com este processo!

A logística reversa é essencial para que as empresas adotem práticas mais sustentáveis, o que proporciona benefícios para todos os envolvidos:

A própria organização, os seus parceiros de trabalho (que têm demanda e geram empregos), os clientes e a sociedade como um todo.

5. Mantenha um controle de suas finanças e do estoque

Por fim, não existe nenhuma estratégia corporativa bem-sucedida que não seja guiada por um excelente controle de finanças e estoque.

No caso da logística reversa, ter uma noção exata das entradas e saídas, bem como da situação do seu estoque (para lidar com reposições, por exemplo), é essencial.

Nossa dica final é contar com o apoio da tecnologia nesse processo.

Ou seja, utilizar um sistema de gestão que simplifique e torne mais transparente as informações sobre sua operação.

Logística reversa: Dúvidas frequentes

Antes de encerrarmos esse guia completo, convidamos você a conferir as respostas para algumas perguntas frequentes que recebemos sobre o assunto. Vamos lá?

O que é o Comitê Orientador para Logística Reversa?

O Comitê Orientador para Logística Reversa fazia parte do Ministério do Meio Ambiente. Ele definia as regras para devolução dos resíduos à indústria. Foi extinto em 2019.

Qual empresa trabalha com logística reversa?

Basicamente, todas as empresas deveriam trabalhar com a logística reversa, visto que pode trazer benefícios financeiros e produtivos. Hoje, os exemplos de empresas que trabalham com logística reversa são muitos, como Phillips, Natura, Bridgestone, HP, entre outras.

Eleve a sua empresa

A Eleve é uma solução de gestão que cabe no seu bolso, pois apresenta um ótimo custo para empreendedores individuais e pequenas empresas. Oferece opções focadas nas suas necessidades:

Desse modo, você terá controle total do seu negócio com dados disponíveis a qualquer momento e de qualquer lugar.

Com o sistema, é certo que não haverá nenhum problema com o fechamento de caixa da sua empresa. Conheça!

Eleve Gestão

Sabia que o Eleve Gestão é a solução ideal para o seu negócio, especialmente se você quer focar em iniciativas inovadoras, como uma estratégia de logística reversa?

É que o Eleve Gestão é um sistema completo para controle financeiro e administrativo do seu negócio, especialmente desenvolvido para micro e pequenas empresas.

Com ele, você pode controlar todas as entradas e saídas do caixa, gerenciar o estoque, ordens de serviço, emissão de notas fiscais e muito mais.

Ou seja: processos comuns no dia a dia de trabalho, mas também essenciais na rotina da logística reversa.

Nesse caso, o controle de custos, estoque e emissão de notas fiscais é muito importante para regularizar todo processo de coleta dos resíduos.

Gostou? Então que tal aprender todos os detalhes do nosso sistema e como ele pode ajudar seu negócio? Confira os diferenciais do Eleve Gestão!

Nova call to action

Conclusão 

Ao longo deste guia completo, te explicamos tudo sobre logística reversa. Gostou dessa jornada de aprendizado?

Esperamos que este artigo tenha sido útil para você!

A logística reversa é um processo que nasceu de uma necessidade e cada vez mais se torna um caminho para as empresas reduzirem custos e contribuírem com o meio ambiente.

E na sua organização, a logística reversa já é realidade?

Lembre-se que para uma implementação segura, é essencial contar com um sistema de gestão que facilite a organização das informações e processos dentro do seu negócio.

Para isso, conte com o Eleve Gestão!

Continue acompanhando o nosso blog e encontre conteúdos e dicas valiosos para tornar o seu negócio mais competitivo no mercado.

política de trocas politica nacional de residuos solidos redução de custos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *