como calcular frete em vendas online

Vendas online: Canais, setores rentáveis e dicas para ter sucesso

Equipe TOTVS | NEGÓCIOS | 23 novembro, 2021

Realizar vendas online é uma das formas mais simples de fazer as empresas crescerem. Hoje, qualquer empreendedor que busque aumentar suas receitas, fortalecer sua marca e ampliar sua presença no cotidiano, deve priorizar os canais digitais.

Mas será que as vendas online são realmente a melhor escolha para o seu negócio?

Falamos da adição de um novo canal de vendas (ou vários outros), bem como investimento e expertise em um estilo de vendas relativamente novo.

A verdade é que o esforço vale a pena: a cada ano que passa, os números das vendas realizadas de maneira online aumentam de forma considerável.

E não importa a forma como a sua empresa atue, seja do varejo ou indústria, B2B ou B2C… Não possuir um marketplace, loja online ou e-commerce pode ser um equívoco — se não agora, no futuro próximo.

É por isso que criamos esse conteúdo: vamos explicar a você o que é, como funciona, como criar um site de vendas online e as melhores práticas para aplicar em seu negócio.

Tudo que você precisa saber em um guia completo e definitivo sobre vendas online. Preparado? Confira a relação de conteúdos que abordaremos:

    • O que são vendas online? Como elas funcionam?
    • Vendas online: Quais são os canais disponíveis?
    • 3 pontos essenciais para trabalhar com vendas online
    • Como trabalhar com vendas online?
    • Como abrir um site de vendas na Internet?
    • Sites famosos que trabalham com vendas online
    • Vendas online: Veja quais são os setores mais rentáveis
    • Vendas online: Dúvidas frequentes

Vamos lá!

O que são vendas online? Como elas funcionam?

Vendas online são transações comerciais conduzidas inteiramente pela Internet, sem que haja contato pessoal e presencial entre cliente e vendedor. Tudo é feito em um canal digital, como em um site ou em um aplicativo.

As vendas online funcionam de modo simples: o cliente acessa a loja virtual da empresa, encontra o produto ou serviço que deseja, adiciona-o ao carrinho digital, escolhe o meio de pagamento e o método de entrega, conclui a compra e pronto!

Em alguns dias ou mesmo instantaneamente, no caso de produtos ou serviços digitais, ele recebe o que comprou.

É claro, esse processo pode ser complementado por outros passos, como a busca do cliente pelo produto. Normalmente, ele procura em um buscador como o Google, que traz vários resultados de produtos (bem como links de sites de marcas e blogs que falam sobre o assunto).

Hoje, esse é um processo muito mais intuitivo do que já foi alguns anos atrás — e é algo que só tende a ser otimizado.

Mas e quanto ao que é concreto — os resultados financeiros e o dinheiro envolvido — como é possível explicar as vendas online?

Basicamente, trata-se de um estilo de vendas em ascensão meteórica.

De acordo com dados de pesquisa da Ebit | Nielsen, logo no primeiro semestre de 2021, o e-commerce brasileiro já havia vendido mais de R$ 53 bilhões, cerca de 31% a mais do que no mesmo período de 2021.

Sobre a ascensão, não há como não ignorar o crescimento expressivo dessa modalidade de comércio.

Por exemplo, conforme dados da PayPal, em 2021 o e-commerce brasileiro passou a ter 1,59 milhão de lojas online — um crescimento de 20% em relação a 2020.

Quer saber de algo surpreendente? Mais da metade dessasm, quase 1,6 milhões de lojas online (52%), correspondem a pequenas empresas.

E pouco mais de 83% desses e-commerces de pequenos negócios recebem cerca de 10 mil visitas mensais — ou seja, há tráfego e há consumidores interessados em seus produtos.

Agora, uma perspectiva para o futuro próximo: se o e-commerce é tão poderoso, quanto corresponde a tudo o que é comercializado no mundo?

Bom, de acordo com dados de uma pesquisa da Oberlo, em 2021, as vendas online (via e-commerce, mais especificamente) devem corresponder a mais de 18% das vendas totais no varejo, em todo o mundo.

Para 2023, a expectativa é que a fatia seja de 23%. Um crescimento considerável, se você colocar os dados na mesa: em 2017, a porcentagem era de apenas 10,4%.

Ou seja, em menos de 10 anos, as vendas online vão dobrar de tamanho em relação ao total de vendas do varejo no mundo inteiro.

Vendas online: Quais são os canais disponíveis?

Quando falamos de vendas online, nos referimos à comercialização de um produto ou serviço pela Internet. Só que essa é uma expressão bastante ampla, que diz respeito a diferentes canais de vendas.

Veja bem: os canais não são iguais e saber a diferença entre eles — ao menos entre os principais — é essencial antes de iniciar seu negócio online.

Aqui, vale a pena distinguir um conceito: “e-commerce”.

Trata-se não apenas de uma loja online ou canal de venda digital, mas de um modelo de negócios cuja principal característica é a possibilidade de realizar transações online (que, aí sim, podem ser feitas por meio de diferentes canais!).

A seguir, explicamos cada um desses canais, mostrando suas características e principais diferenças!

Lojas virtuais

O site de vendas utilizado em sua estratégia de e-commerce. É o seu canal de vendas online e, basicamente, está sob o controle da sua empresa (ou de alguma empresa terceirizada).

Ao ter uma loja virtual, é você quem lida com todos os aspectos da operação: desenvolvimento, manutenção, servidores, protocolos de segurança, diferentes meios de pagamento, frete etc.

Marketplaces

Os marketplaces são como “shopping centers virtuais”, reunindo várias lojas e comerciantes dentro de sua ampla plataforma.

À empresa, basta criar seu login, desenvolver sua loja dentro do layout possível (e com os recursos limitados pelo marketplace) e cadastrar seu catálogo de produtos.

O resto dos elementos (como os diferentes tipos de pagamento, o funcionamento do carrinho, muitas vezes até o atendimento ao cliente) é de responsabilidade do marketplace.

Ele também cobra uma porcentagem em cima das vendas realizadas — o modelo varia de marketplace para marketplace.

Por isso, vale a pena pesquisar qual modelo melhor se encaixa em suas possibilidades.

Redes sociais

A compra pelas redes sociais é muito bem caracterizada pelo termo “social commerce“. Ou seja, uma estratégia de vendas online com foco em redes sociais que viabilizem esse tipo de conversão.

Exemplos atuais são o Facebook e Instagram.

Desse modo, o cliente não precisa sair da rede social, basta selecionar o produto (na página da loja ou quando tagueado em uma foto ou vídeo) e concretizar o pedido.

Tudo isso dentro da rede social, sem ter que deslocá-lo para um outro site e adicionar outras etapas (consideradas como obstáculos) entre o cliente e sua compra.

Representantes virtuais

A venda online por meio de representantes virtuais nada mais é do que o chat commerce. Ou seja, a comercialização via chat ao vivo.

É uma prática possível em algumas redes sociais, como Facebook Messenger, WhatsApp e também alguns chatbots (que oferecem a função para simplificar a experiência do usuário ao acessar a loja virtual).

Neste modelo, há uma mistura de automação, representantes humanos e Inteligência Artificial, que simplificam a gestão de processos.

Assim, os clientes podem realizar suas compras diretamente pelo chat, sem a necessidade de procurar pelo produto no catálogo do site.

3 pontos essenciais para trabalhar com vendas online

Para trabalhar com vendas online, é necessário muito mais do que uma boa loja virtual e preços baixos. No e-commerce, existe um termo que ganha total importância quando o objetivo é ser bem-sucedido: experiência do cliente.

Você deve promover uma boa experiência ao cliente que visitar seu site ou rede social, tornando o processo de compra o mais simples possível.

Para isso, porém, você deve ir além do investimento em uma loja virtual bonita. Quer saber quais os pontos essenciais? Explicamos:

Estratégia

O primeiro ponto é a estratégia. Um e-commerce não é simplesmente a extensão do PDV, mas um canal de venda completamente independente e repleto de demandas próprias.

Seu sucesso pode ser estrondoso para o seu negócio — mas o fracasso pode trazer uma baita dor de cabeça.

É por isso que você deve planejar cada passo: do planejamento financeiro e capital inicial necessário, às ações de marketing de vendas online para captar leads e fidelizar clientes.

Confiança

Por muito tempo, as vendas online foram vítimas da desconfiança do público em geral. A perspectiva de inserir os dados do cartão de crédito em um site novo pode assustar alguns tipos de consumidores.

É por isso que, antes de realizar o investimento, recomendamos que você pense primeiramente em segurança.

Existem diferentes maneiras de tornar seu site, rede social e estratégia como um todo mais segura para o cliente.

Por exemplo, você pode centralizar as informações de seus clientes em um sistema de gestão integrado à loja virtual, de modo a respeitar as diretrizes da LGPD, sem riscos de sofrer sanções.

Autoridade

Trabalhar a autoridade do seu e-commerce é mais do que necessário para ver resultados crescentes em sua estratégia.

Não basta apenas um site bonito e preços baixos, é preciso saber como ativar os gatilhos necessários para ser encontrado.

Afinal, qual garantia você tem de que ao digitar “Produto X” no Google, seu cliente irá encontrar seu site e não de um concorrente que pagou mais pelo anúncio?

É preciso diversificar e ampliar seu escopo de esforços, trabalhando em cima da autoridade do seu site e marca.

Como? Por meio de um blog, de suas redes sociais (de Facebook a Youtube), entre tantos outros, criando conteúdos e campanhas que agreguem valor ao seu nome.

Aqui, vale destacar o valor de investir em SEO ou Otimização para Mecanismos de Busca, que visa melhorar seu site de maneira contínua, buscando se encaixar nas melhores práticas do mercado.

É uma forma de trazer resultados orgânicos (que você não paga, como em anúncios), com otimizações baseadas em palavras-chave mais buscadas pelo seu público-alvo.

Como trabalhar com vendas online?

Agora, como transformar a vontade em ações práticas para transformar seu modelo de negócios, aderindo às vendas online?

É o que vamos ensinar a seguir. Confira os passos e faça questão de executar cada um deles!

Escolha qual será o seu canal de atuação

O primeiro e mais relevante ponto no início do trabalho é definir qual canal de atuação na sua estratégia de vendas online.

Naturalmente, toda a atenção se volta para a loja virtual. No entanto, existem outras alternativas que sua empresa pode explorar, como a venda via redes sociais ou via representantes virtuais.

Você pode também definir uma estratégia omnichannel, com diferentes canais de vendas que sejam integrados, oferecendo uma experiência ainda mais agradável ao cliente.

O importante é definir uma direção e prioridades, de modo a montar um planejamento compreensivo e realista.

Elabore um plano de negócios

Do mesmo jeito que a loja física necessita de um plano de negócios, a loja online também! Por isso, busque documentar todos os principais pontos para concretizar esse passo do seu negócio, como:

Tenha disciplina e seriedade

Trabalhar com vendas online pode ser bastante desafiador, especialmente porque as plataformas e os próprios consumidores mudam muito ao longo do tempo.

Por isso, é necessário atenção ao ofício, acompanhado de muita disciplina e seriedade.

Afinal, o ambiente digital lhe expõe a informações extremamente qualificadas sobre todos que interagem com seus conteúdos, produtos e postagens.

Analisar esses dados em busca de insights qualificados é uma obrigação — mas deve ser feito de maneira contínua.

Conte com uma boa equipe

O e-commerce não é definido por um bom site, mas uma boa estrutura de suporte ao cliente, capaz de evoluir de maneira contínua a qualidade da operação.

Por isso, antes de qualquer coisa, conte com uma equipe capaz de manter seu site no ar, com estoque integrado e atualizado, funções administrativas completas, processos logísticos ágeis e atendentes capazes de suprir as dúvidas de todos os clientes.

Atente-se às questões de logística

Pode não parecer no início, mas uma dos principais motivos pelos quais as pessoas buscam comprar online é por conta da entrega.

A possibilidade de comprar qualquer coisa sem sair de casa e ela ser entregue na porta de casa é atrativa demais para ignorar.

Na verdade, de acordo com outro estudo da Oberlo, a principal razão pela qual os consumidores compram online é por conta do frete grátis.

Por isso, ajustar seus processos logísticos de modo a torná-los os mais otimizados (e talvez mais baratos) possível é uma excelente maneira de cativar uma maior parcela de clientes.

Ofereça ao cliente uma experiência omnichannel

Voltando ao tópico do omnichannel, essa estratégia trata-se do esforço de oferecer uma experiência igual por todos os pontos de venda e canais de comunicação que você oferece.

Ou seja, um cliente pode iniciar um atendimento via WhatsApp com um representante virtual e continuar do mesmo ponto a partir do e-mail.

Ou ainda, ele pode realizar uma compra pelo aplicativo e tirar dúvidas sobre o pedido por telefone, sem gaps de informação.

É algo que exige a integração dos canais, mas uma das principais tendências para o futuro das vendas online.

Defina quais serão as formas de pagamento

Outra comodidade que as vendas online oferecem ao consumidor é a possibilidade de comprar utilizando o meio de pagamento que quiserem.

Seja no cartão à vista, à prazo, no boleto, via PIX, carteira digital… Opções não faltam.

Mas oferecê-las é uma missão da loja virtual. Por isso, na hora de definir esse ponto, procure expandir ao máximo o leque, simplificando a decisão do cliente quando estiver diante do carrinho.

Invista em anúncios e na divulgação dos produtos

Por fim, lembre-se de reservar uma parcela do capital para investir e reinvestir em anúncios e na divulgação dos produtos.

No meio online, existem diversas formas de criar anúncios eficazes, que atinjam exatamente seu público-alvo e usuários com necessidades que conversam com seu negócio.

Nova call to action

Como abrir um site de vendas na Internet?

Para abrir seu negócio online, você precisa seguir uma série de passos. Os mais importantes você conferiu acima. E agora, o que resta fazer? Abrir o seu site!

O principal aqui é entender qual canal você irá explorar e, então, criar seu site ou sua loja no marketplace escolhido.

Após isso, procure elaborar um processo de vendas (ou melhor, um funil de vendas), entendendo as etapas do cliente do momento que ele descobre o seu negócio até o ponto em que se torna um promotor da marca.

Com base nesses dados, será possível entender o que o cliente vê de valor na sua marca, baseando suas ofertas nessa percepção.

É algo que pode ir além, simplesmente, de oferecer “preços baixos”, mas de possuir as soluções para as dores de seus consumidores.

Sites famosos que trabalham com vendas online

Que tal conhecer alguns dos principais sites que trabalham com vendas online? Se você ficou interessado em aprender mais sobre os marketplaces, separamos os principais, explicando sua atuação:

Mercado Livre

O Mercado Livre (ou Mercado Libre, no resto da América do Sul) é o maior marketplace latinoamericano.

Nascido na Argentina, já é um dos principais nomes das vendas online — tendo esse título há anos, pois foi um dos primeiros.

Hoje, de acordo com dados do Web Retailer, o Mercado Livre recebe mais de 683 milhões de visitas por mês em toda América do Sul, sendo o 3° maior do mundo.

Seu foco é muito amplo: pessoas podem vender para pessoas (no modelo C2C, ou Consumidor para Consumidor), como também há lojas B2C e mesmo B2B.

Americanas

Marca do grupo B2W, o maior player do varejo brasileiro, a Americanas.com também é um marketplace com altíssimo alcance.

Sua fama se estende ao varejo convencional, já que as lojas da marca se espalham por shopping centers em todo Brasil.

De acordo com dados do Web Retailer, é o 21° marketplace mais acessado do mundo, com mais de 130 milhões de visitas mensais.

O trio de ouro que compõe o portfólio do grupo é complementado por Shoptime e Submarino.

Amazon

A Amazon é um dos maiores marketplaces do mundo — de acordo com o Web Retailer, o maior indiscutível, com impressionantes 5,2 bilhões de acessos por mês.

Criada em 1995 pelo empresário Jeff Bezos, o site começou como uma plataforma de venda de livros e se tornou o que todos sabemos ser hoje em dia: uma das maiores forças do varejo atual.

Uma das principais características da Amazon como marketplace é sua robusta rede logística, que oferece frete grátis em diversos produtos em troca de uma assinatura mensal dos clientes.

Magazine Luiza

A Magazine Luiza é uma loja de móveis e eletrodomésticos que cresceu de forma exponencial nos últimos anos, especialmente pelos investimentos no universo digital.

Além de ter transformado seu site em marketplace, a Magazine Luiza incorporou ao portfólio os sites da Netshoes e Zattini.

Vendas online: Veja quais são os setores mais rentáveis

Sem ideias de negócios para experimentar no ambiente digital? Sabemos que, para empreendedores novatos, o pensamento de “o que posso vender pela internet?” com certeza já passou pela sua cabeça, certo?

Trouxemos uma relação completa dos setores mais rentáveis quando o assunto é vendas online. 

Que tal conferir para retirar alguns insights valiosos para sua estratégia? Confira!

Celulares e outros eletrônicos

Investir no segmento de informática, especialmente no nicho de celulares e smart devices é um passo acertado em direção a um e-commerce de sucesso.

Afinal, o uso de dispositivos do tipo só cresce.

De acordo com o relatório Webshoppers 42° Edição, de 2020, o faturamento do segmento de informática cresceu 101% (comparando apenas os 2° trimestres de 2020 e 2019).

Um salto considerável, que mostra a força desse nicho.

Produtos fitness

Com a pandemia, as pessoas passaram a olhar de maneira mais atenta à alimentação e ao seu estilo de vida.

Esse movimento suscitou em um renascimento do segmento fitness, extremamente promissor em sua essência, pois é composto de incontáveis produtos e mesmo serviços.

Afinal, falamos de um mercado que envolve desde equipamentos de treino, roupas, calçados, alimentos e bebidas, até serviços de acompanhamento e orientação.

Moda e vestuário

Ainda de acordo com o relatório Webshoppers 42, o segmento de roupas e calçados mostrou crescimento de 37% nos pedidos comparando o segundo trimestre de 2020 com o mesmo período de 2019.

Trata-se de um avanço importante e que mostra que as pessoas estão perdendo a insegurança da compra online de roupas, já que cada vez mais confiam nas políticas de troca e desenvolvimento das marcas.

Saúde e beleza

A cada mês, mais e mais pessoas se interessam por produtos e por toda filosofia de cuidados com a própria beleza e saúde, especialmente da pele.

É um movimento que vem ganhando mais adeptos — e representa um mercado repleto de oportunidades.

Produtos originais, com diferentes apelos (feitos com insumos orgânicos, totalmente veganos etc), podem encontrar um excelente espaço de crescimento neste mercado.

Casa e decoração

Conforme o relatório Webshoppers 42, o faturamento do segmento de Casa e Decoração cresceu 33% em plena pandemia.

É um nicho interessante, muito mais receptivo a pequenos produtores e artesãos, e que pode oferecer excelentes oportunidades de crescimento.

Vendas online: Dúvidas frequentes

Chegamos aos finalmentes deste guia completo e definitivo sobre vendas online. Antes de finalizar, porém, que tal sanar algumas dúvidas frequentes da Internet sobre o assunto?

Qual o melhor produto para vender na Internet?

Não existe um “melhor produto” para vender online. O que existe é uma combinação de boa oferta, promoções de vendas bem planejadas, comunicação precisa, loja virtual otimizada e entrega eficiente, capaz de instigar qualquer consumidor a realizar a compra.

Qual o melhor site de vendas online?

O melhor site de vendas online é definido por alguns aspectos, como seu nível de otimização, o layout intuitivo que facilite a pesquisa dos produtos, um carrinho de compras simples de entender e diferentes opções de frete e de pagamentos.

Conheça as soluções da Eleve para a gestão de suas vendas online

Agora, antes de iniciar sua operação online e começar a vender pela Internet, como você vai garantir total controle de cada aspecto do negócio?

Temos a resposta: com o Eleve Gestão!

O melhor sistema de controle financeiro do mercado para micro e pequenos negócios é também a solução ideal para ajudar você a administrar sua loja online.

Com o Eleve Gestão, você faz de tudo: emite notas fiscais, centraliza ordens de serviço, controla o fluxo de caixa e também seu estoque.

Tudo com poucos cliques no mouse ou na tela do seu smartphone, em um software 100% seguro, integrável ao seu e-commerce ou marketplace.

O Eleve Gestão lhe dá todas as ferramentas e capacidade de automação para que o negócio ande sozinho, enquanto você atua de maneira estratégica no atendimento aos clientes e no crescimento do negócio.

Interessou? Então conheça mais sobre o Eleve Gestão, seus diferentes e acessíveis planos e mais!
Nova call to action

Conclusão

Ao longo deste guia completo, explicamos tudo que você precisa entender sobre vendas online: do conceito até a aplicação prática.

Esperamos que seja o início de uma jornada de sucesso para o seu negócio! Entrar no campo das vendas online é uma necessidade e uma oportunidade imperdível, capaz de transformar seu negócio!

Por isso, saiba que a gestão é essencial — e o Eleve Gestão pode ajudar sua empresa em cada etapa desse processo, desde o planejamento até o escalonamento da operação.

E agora, que tal continuar aprendendo sobre gestão de negócios? Temos uma seção inteira do blog dedicada ao assunto!

como vender pela internet ecommerce marketplace

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *