break even

Break even: entenda como esse número é importante para seu negócio

Equipe TOTVS | NEGÓCIOS | 01 fevereiro, 2021

Alcançar o break even de um negócio parece ser muito mais fácil para alguns empresários do que entender o seu conceito integralmente ou, até mesmo, as suas funcionalidades para a administração. Não é que ele seja difícil de compreender. Pelo contrário. Na verdade, é a sua simplicidade que gera dúvida.

Também chamado de ponto de equilíbrio, crítico ou de ruptura, o break even não é um instrumento de administração exclusivo de grandes empresas. Todo nicho de mercado, inclusive o varejo, precisa manter o equilíbrio de suas finanças para progredir. Para isso, esse indicador traz uma visão útil sobre a relação dos custos e lucros apurados.

Então, seja pelas dúvidas que o seu conceito pode causar, seja pelo interesse em utilizar o break even em sua gestão para melhorar os seus resultados, a leitura deste post é fundamental. Confira!

Qual é o conceito de break even?

Trata-se do montante exato de receita necessária para um negócio quitar integralmente as suas despesas no período de apuração. Assim, considerando o balanço financeiro, corresponde ao valor que cobre os custos fixos e variáveis do negócio.

Fica fácil concluir que, se um negócio não atinge o break even no período, está tendo prejuízo. No entanto, em contrapartida, qualquer centavo recebido após esse valor de referência também pode ser constatado como lucro.

Pode ser utilizado para determinar quando um empreendimento finalmente quitou os seus investimentos iniciais. Também serve para um controle mais pontual, fazendo uma estimativa de quando as vendas do mês se pagarão, e o quanto a partir disso entrará para as contas da empresa como lucro.

Essa lógica já permite a realização de considerações sobre a administração do negócio, mas as suas aplicações podem ir mais além.

Por que acompanhar esse número?

Se um empresário sabe quanto precisa ganhar para pagar todas as suas despesas, uma vez que esse valor esteja longe de ser alcançado no período, outras estratégias e promoções podem ser estudadas para reverter a situação.

Além de identificar momentos que demandam a sua atuação direta, o break even também tem outras aplicações.

Auxilia na precificação dos produtos

A precificação de produtos envolve uma série de fatores e estratégias do negócio. Além da sua conta básica, o mercado em que atua, o tamanho de seu mix de produtos e serviços, o seu posicionamento e planejamento são alguns deles. Para ficar claro, o cálculo básico do preço seria:

Custos + despesas + lucro = preço de venda

Uma loja de cosméticos tem uma linha de produtos diversificada, e cada produto terá o seu cálculo de preço definido pela regra básica. Mas a sua margem de lucro poderá variar de um item para o outro, com o intuito de que o mais barato, pelo menos, atraia o comprador até o estabelecimento.

Essa é uma estratégia para atrair mais compradores de produtos com valores relativamente baixos. Contudo, só é seguro aplicá-la se o break even do negócio for conhecido. Do contrário, reduzir o preço de um item sem parâmetros poderia gerar prejuízos.

Já em mercados mais exclusivos, em que o mix de produtos é mais compacto, a gestão de preços é totalmente diferente. O seu break even será maior devido aos custos com matéria-prima ou estoque e também pela margem de lucro estipulada. Assim, ganham na venda de qualidade, e não de quantidade.

Permite a análise da lucratividade do negócio

O break even mostra ao gestor o momento em que ele quita as suas despesas e começa a lucrar. Entretanto, essa constatação não serve apenas para deixá-lo orgulhoso e satisfeito.

Saber qual é a lucratividade de um negócio permite, por exemplo, que o administrador crie uma proposta com dados convincentes para investidores ou bancos. Eles somente apostarão os seus recursos ou liberarão créditos para empresas que ofereçam potencial de retorno.

Além disso, se um empresário precisa mudar algumas estratégias do negócio, saber quais produtos têm maior lucratividade é fundamental. Dessa forma, as suas ações podem corrigir apenas os itens com piores desempenhos sem afetar o equilíbrio das finanças que o break even ajuda a controlar.

Pode ser utilizado como referência para definição de metas

Esse ponto é muito interessante para trabalhar o mix de produtos. É preciso lembrar que alguns podem ter margem de lucro maior ou menor do que os demais considerando o seu volume de vendas.

Assim, ao definir metas, o empresário pode incentivar e priorizar a venda daqueles produtos que alcançarão o break even mais rapidamente. Ele pode apontar ainda a quantidade a ser comercializada, ou qual é a composição de itens com margens de lucro melhores que também proporcionarão bons resultados depois do ponto de equilíbrio.

O break even também pode auxiliar no planejamento do negócio para o lançamento de novos produtos, assim como a análise da troca de fornecedores de matéria-prima ou itens de vendas. Afinal de contas, toda mudança de custos precisa ser feita considerando que o equilíbrio financeiro deve ser mantido.

Como calcular o break even?

Suas aplicações são extensas. Portanto, entender o seu cálculo é essencial. O break even é o ponto em que as receitas quitam as despesas. Então, o resultado da subtração de uma pela outra será zero. Assim, temos:

Receita total (RT) = Custo total (CT)

Nessa conta, temos:

  • a receita total será o valor de cada item vendido (P) multiplicado pela quantidade comercializada (Q). Ou, RT = P x Q.
  • o custo total será a soma das despesas fixas (CF) e variáveis (CV) do negócio. Assim, temos CT = CF + CV.

Assim, uma papelaria que tem as suas despesas com estoque de produtos, funcionários, contas de água, luz, telefone, internet e demais custos fixos e variáveis totalizando R$3.600,00, precisa vender, por exemplo, 200 cadernos por R$12,00 e 1000 canetas por R$1,20, totalizando o mesmo valor.

Porém, quando um desses elementos ainda não está claro ou a intenção é criar uma estimativa, a abordagem do cálculo também precisa considerar a margem de contribuição.

Ela representa o valor residual da venda depois que os custos variáveis são deduzidos. Em outras palavras, ajuda na definição do quanto é necessário receber de cada produto para quitar os custos fixos. Assim, também conseguimos chegar no ponto de equilíbrio financeiro com:

Break Even Point (BEP) = CF / 1 – (CV / vendas)

Uma loja de brinquedos tem um custo fixo de R$10.500,00. Ela deseja fazer a venda de 100 bicicletas por R$270,00 que custaram, na categoria das despesas variáveis, R$150,00 cada unidade. Então:

BEP = R$10.500,00 / 1 – (150,00/270)

Então, será preciso vender um total de R$23.863,64 para que o BEP seja alcançado. Quais questões estratégicas podem ser realizadas pelo empresário?

  • O custo variável, principalmente atribuído ao investido para comprar a bicicleta, está alto? Se conseguir um fornecedor para repassar o item por R$135,00, o BEP passaria a ser R$21.000,00.
  • O custo fixo está prejudicando o lucro? Optar por um aluguel mais barato poderia reduzir as despesas para R$10.000,00. Nesse caso, o ponto de equilíbrio seria R$22.727,27.
  • Diminuir o valor do produto para aumentar o volume de vendas solucionaria? Ou reduzir o número de funcionários?

Com o break even, o empresário pode fazer cálculos que direcionam as suas ações mais eficientemente. De forma prática, o indicador mostra se o negócio é viável, se vale a pena aumentar os seus investimentos e muito mais.

Saber detalhadamente quais são os custos do negócio é primordial para essa estratégia. Você sabe quais são os seus na ponta do lápis? Deixe o seu comentário neste post sobre como mapeou todos eles!

balanço financeiro margem de lucro precificação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *