cnab

CNAB: O que é, como funciona e qual layout escolher

Equipe TOTVS | FINANCEIRO | 29 outubro, 2021

O CNAB (Centro Nacional de Automação Bancária) é um instrumento de digitalização, integração e automação da comunicação entre bancos, empresas e clientes. Com o CNAB, uma empresa envia e recebe informações financeiras sobre o registro de pagamentos, facilitando a gestão de suas finanças.

Para quem trabalha no setor financeiro, o CNAB não é propriamente uma novidade — especialmente em empresas que já começam a ter um maior número de pagamentos a serem realizados e recebidos diariamente.

Com o CNAB, as empresas podem realizar o pagamento e o recebimento de um alto volume de transações, automatizando o processo de baixa em seu sistema de gestão.

Porém, nós sabemos que o CNAB pode ser um pouco complexo, especialmente para quem está buscando entendê-lo agora — muitas vezes, do zero.

Mas não se preocupe: preparamos um guia completo sobre CNAB para você, esclarecendo todos os principais pontos sobre esse instrumento digital de apoio de atividades e de comunicação entre sua empresa, seus bancos e clientes. Vamos lá?

O que é CNAB?

cnabCNAB é a sigla para Centro Nacional de Automação Bancária, ferramenta digital que permite a troca de informações financeiras relativas a contas a pagar e receber entre empresas, bancos e clientes, seguindo um padrão que automatiza a gestão dos pagamentos.

Ou seja, por meio do CNAB, é possível gerenciar as transações (tanto pagamentos efetuados, como recebidos) de maneira automática.

Isso acontece a partir de dois tipos de arquivos trocados entre organizações e instituições bancárias: os arquivos de remessa e os arquivos de retorno.

Os arquivos de remessa são emitidos pelas empresas, comunicando aos bancos os pagamentos ou movimentações que devem ser efetuadas (baixa de cobranças, pagamento de impostos, pagamento de títulos etc.). Esses arquivos possuem extensão .REM (de remessa).

Já os arquivos de retorno (com extensão .RET) são emitidos por bancos e enviados às empresas, informando quais pagamentos foram realizados (tanto por parte da empresa como destinados à empresa, como é o caso de boletos de seus clientes).

O próprio sistema de gestão da empresa, ao receber os arquivos no padrão CNAB, já atualiza as informações financeiras.

Assim, por exemplo, dá baixa nos boletos já pagos pelos clientes e inicia o processo de separação do pedido para envio.

Desse modo, a empresa pode manter seu banco de dados atualizado, facilitando o dia a dia do setor financeiro e todo controle de fluxo de caixa do negócio, uma etapa importante para a estabilidade da empresa e para cumprimento do planejamento corporativo.

O padrão CNAB foi desenvolvido pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) e possui dois modelos — que já, já vamos explicar em detalhes.

O que é arquivo CNAB?

O arquivo CNAB é um padrão digital definido pela Febraban, com dois modelos de arquivos diferentes utilizados por bancos e empresas. O intuito, com ambos os modelos, é enviar e receber diferentes informações digitais sobre suas movimentações financeiras.

Como mencionamos, o CNAB é um instrumento de integração com os bancos que você opera.

Por meio dessa ferramenta, é possível que uma empresa envie instruções de pagamento, cobrança e também conciliação bancária para seus bancos — a partir do arquivo de remessa.

Para dar baixa nos boletos pagos e realizar a compensação financeira, cabe à empresa solicitar o arquivo de retorno para completar o processo em seu sistema de gestão ou utilizar um ERP capaz de automatizar esse processo, realizando a atualização das informações de maneira autônoma.

Como funciona o CNAB?

Apesar de ser um tema inicialmente complexo, o funcionamento do CNAB é simples. A comunicação entre a empresa e o banco acontece pelo software de gestão da organização (ou mesmo pela plataforma de Internet Banking do banco).

Como explicamos anteriormente, existem duas trocas no processo do CNAB: o envio do arquivo de remessa e o recebimento do arquivo de retorno.

Vamos supor que a sua empresa precise realizar 50 pagamentos de boleto. Ela então cria um arquivo de remessa com essas informações, seguindo algum dos modelos que o banco aceitar, e o envia.

Quando o banco recebe o arquivo de remessa, faz sua validação a fim de identificar erros. Caso algum seja encontrado, o próprio banco vai informar a você.

Porém, se estiver tudo ok, o banco então dá prosseguimento ao processo de pagamento dos boletos.

Ou seja, os valores são homologados e, uma vez finalizado, o banco gera o arquivo de retorno.

Esse arquivo de retorno pode ser requisitado por sua empresa ou realizar automaticamente o upload.

Como o sistema de gestão segue o padrão CNAB, as informações financeiras são então atualizadas.

No caso do exemplo citado, o que você e seu time financeiro veriam é que os 50 boletos foram pagos e que o valor saiu da sua conta bancária.

O mesmo processo ocorre no caso de boletos pagos por seus clientes, bem como na ocasião de uma conciliação bancária.
Nova call to action

Para que serve o CNAB?

O CNAB serve como uma ferramenta de digitalização do processo de emissão e baixa de pagamentos. Assim, as empresas podem automatizar um processo que, se feito manualmente, levaria horas ou mesmo dias.

Ao todo, de acordo com a Febraban, existem nove situações em que o CNAB pode ser utilizado, sendo:

  • Pagamentos: Possibilita o pagamento de salários, fornecedores, dividendos, etc., por meio de crédito em conta, cheque, OP, DOC, pagamento com autenticação, pagamento de títulos de cobrança ou de tributos.
  • Cobrança: Possibilita a geração de informações dos títulos em cobrança para o banco beneficiário (entrada de títulos, pedido de baixa etc.), a geração de informações do boleto de pagamento eletrônico (títulos capturados em carteira) ao pagador e alegações do pagador ao banco beneficiário.
  • Extrato de Conta Corrente para Conciliação Bancária: Possibilita a geração de extrato de conta corrente para conciliação bancária, considerando exclusivamente os saldos contábeis de conta corrente.
  • Débito em Conta Corrente: Possibilita o pagamento de parcelas, contribuições e outros tipos de compromissos ou encargos, por meio de débito em conta corrente.
  • Vendor: Possibilita financiamentos a partir do banco beneficiário.
  • Custódia de Cheques: Proporciona aos clientes a guarda dos cheques e a compensação dos mesmos na data determinada para depósito.
  • Extrato para Gestão de Caixa: Possibilita a geração de extratos para gestão de caixa, gerados várias vezes ao dia, com informações sobre saldos e lançamentos de diferentes naturezas.
  • Empréstimo por Consignação: Possibilita aos funcionários e beneficiários de empresas e órgãos públicos realizarem empréstimos, por meio de consignação em folha de pagamento ou por meio de benefício.
  • Compror: Variável do Vendor, mas em que o próprio cliente ou comprador atua como fiador do valor financiado.

Benefícios do CNAB para as empresas

Até aqui, você já entendeu o objetivo básico do CNAB: modernizar e digitalizar o processo de recebimento e da efetuação de pagamentos, correto?

Agora, e na prática, quais vantagens o CNAB traz? Reunimos algumas das principais para te explicar, confira:

Segurança e integração de dados

Com o CNAB, não há risco de você perder ou errar informações sobre pagamentos recebidos ou efetuados. Afinal, toda troca de dados com as instituições bancárias segue padrões pré-determinados.

Além disso, a comunicação é assegurada tanto pelo sistema do banco — que costuma investir pesado em segurança e proteção de dados — como pelo seu ERP.

Outro ponto é que o ERP faz o upload, leitura e integração automática das informações dos arquivos de retorno, atualizando automaticamente os dados financeiros.

Precisão

O CNAB ajuda na organização das informações financeiras da empresa. Na prática, significa que você pode centralizar a análise dos pagamentos efetuados e recebidos.

Assim, tem maior precisão no controle e redução da inadimplência, bem como garante o cumprimento de suas obrigações financeiras e tributárias.

Automatização de processos

O CNAB é uma inovação totalmente alinhada com as novas tecnologias que empresas, de todos os tamanhos e segmentos, começam a implementar em sua gestão operacional e administrativa.

Isso quer dizer que um processo que, antes levava horas para ser realizado e necessitava de muita atenção aos detalhes (conferência de códigos de boletos, digitação dos números em planilhas etc.) agora é feito de maneira automática.

Maior produtividade e economia de tempo

Tudo isso acarreta em mais produtividade e em uma economia significativa de tempo.

Afinal, o CNAB permite que a empresa automatize todo processo de gestão de pagamentos efetuados e recebidos, o que libera seus funcionários para se                             ocuparem em outras atividades — de cunho mais estratégico, por exemplo.

Além disso, com um sistema de gestão capacitado, você pode realizar toda conferência de dados em poucos segundos, já que o próprio padrão busca identificar erros de antemão (e avisar, caso encontre algum).

Padrões estabelecidos para o CNAB

Quando falamos de CNAB, não nos referimos apenas ao padrão estabelecido pela Febraban, mas também aos seus dois modelos de arquivo digital: o CNAB 400 e CNAB 240.

Cada banco utiliza um modelo específico (embora alguns deles utilizem os dois), com documentação própria orientando sobre o preenchimento dos campos de informação.

Por isso, antes de qualquer coisa, indicamos que você busque seu banco e faça a requisição da documentação. Agora, que tal entender do que se trata cada um desses modelos? Confira:

CNAB 400

A principal característica do CNAB 400 é que é um arquivo menor, contendo menos informações do que o CNAB 240 (é limitado a 400 posições).

É um layout dedicado a cobrança simples e garantida, sem possibilidade de realizar serviço de banco correspondente (casas lotéricas, entre outras instituições autorizadas pelo Bacen).

Assim, reserva-se apenas para postagem de títulos via Correios e serviços de protesto em caso de não pagamento.

A vantagem do CNAB 400 é a agilidade: é um modelo com fluxo de informações mais ágil e simplificado.

CNAB 240

O CNAB 240 possui 4 segmentos de 240 posições, sendo consideravelmente mais amplo do que o CNAB 400. Ou seja, nesse modelo, é possível incluir mais títulos a serem pagos ou cobrados.

Permite carteiras de cobrança simples e garantida, bem como possibilita a utilização do serviço de banco correspondente e a postagem de títulos pelos Correios.

Além disso, inclui serviços de protesto e custódia de cheques, bem como agendamento para pagamento de títulos e contas.

Qual a diferença entre CNAB 240 e 400?

A principal diferença entre o CNAB 400 e CNAB 240 é o tamanho do arquivo: apesar do nome indicar diferente, o modelo 400 é menor do que o 240 (que possui 4 segmentos de 240 posições).

Ou seja, é possível informar um maior número de títulos a serem pagos no CNAB 240.

Além disso, o CNAB 240 é um modelo mais completo em questão de dados e de serviços, já que possibilita por exemplo o agendamento de pagamentos.

Porém, o fluxo do CNAB 400 nas instituições bancárias é mais rápido, já que o arquivo é simplificado.

Layout de CNAB dos principais bancos brasileiros

E afinal, com quais modelos de CNAB os principais bancos brasileiros trabalham? Separamos uma lista completa e atualizada para você, confira!

  • Sicredi: 240;
  • Sicoob: 240;
  • Banrisul: 400;
  • C6 Bank: 240;
  • Unibanco: 400;
  • Itaú: 400 e 240;
  • Banco CCB: 400;
  • Banco Inter: 240;
  • Safra: 400 e 240;
  • Caixa: 400 e 240;
  • Bradesco: 400 e 240;
  • Banco Banestes: 400;
  • Santander: 400 e 240;
  • Banco Sudameris: 400;
  • Banco do Brasil: 400 e 240;
  • Banco Mercantil: 400 e 240;
  • Banco Nossa Caixa São Paulo: 400.

Qual layout de CNAB você deve usar?

A utilização do CNAB 240 ou CNAB 400 não é estritamente uma decisão sua, mas depende do modelo em que sua instituição bancária trabalha. Nossa dica é entender qual tipo de informação você necessita para dar baixa em seu sistema de gestão e qual o banco oferta.

Outro ponto que influencia é o volume de transações efetuadas pela empresa.

É natural que uma empresa com um maior fluxo de boletos a serem pagos necessite de um modelo mais robusto, como o CNAB 240.

Desafios do CNAB

Apesar de ser uma facilidade, o CNAB também enfrenta alguns desafios na sua aplicação em diferentes empresas. O principal deles tem relação às mudanças de regulamentações de banco para banco.

Apesar do CNAB seguir um modelo específico da Febraban, vale lembrar que cada banco possui seu próprio layout de boleto.

Existem bancos que tratam de algumas informações que outras instituições sequer consideram.

É o caso, por exemplo, do Código de Ocorrência Pagador: o Itaú possui códigos próprios, mas o Banco do Brasil não trata essa informação.

Ou seja, a maior dificuldade é que as empresas se adequem às regras específicas de cada banco.

Para instituições que trabalham com múltiplos bancos, o que deveria ser uma facilidade pode se tornar uma dificuldade.

Por isso, muita atenção ao banco que escolher!

CNAB: Dúvidas frequentes

Agora, antes de encerrar o guia completo, que tal conferir algumas respostas simplificadas para dúvidas frequentes sobre o CNAB? Separamos duas muito repetidas por leitores e clientes do Eleve, confira:

Como gerar arquivo CNAB?

A geração do arquivo CNAB é bastante simples se feita pelo sistema de gestão. Basta acessar o módulo de integração com o banco, gerar o arquivo de remessa com as informações dos títulos desejados e enviar para o banco.

Alguns sistemas de gestão enviam diretamente pela sua interface, clicando em um botão de envio automático.

Porém, existem ocasiões que você vai precisar acessar o Internet Banking da instituição bancária e realizar o envio.

Quais as vantagens de trabalhar com boletos?

Para um negócio, é sempre importante diversificar seus meios de pagamentos. Oferecer a opção do boleto é excelente, pois permite que mais pessoas comprem de você — afinal, não exige que o cliente tenha uma conta bancária, por exemplo.

Assim, você garante que pessoas sem cartão de crédito ou débito possam consumir da sua empresa e aproveitar suas soluções.

Como a Eleve pode otimizar a sua gestão de pagamentos

Com o Eleve Gestão na sua empresa, você reduz as operações manuais do setor financeiro, mitigando erros e economizando muito tempo na hora de gerenciar os pagamentos!

O Eleve Gestão oferece uma interface simplificada, que permite que você visualize com facilidade as contas a pagar e receber.

Assim, pode preparar seus arquivos de remessa com mais tranquilidade e menor índice de erros.

Com o Eleve Gestão, além de saber onde você perde e ganha dinheiro, você tem total controle do seu faturamento, com visão ampla do fluxo de caixa, integração com sistema do banco para acessar extratos e recurso que evita que você perca os prazos das contas a pagar e receber.

Além disso, por meio do Eleve Gestão, você pode também emitir notas fiscais de serviço e produto (tanto normal, como de devolução ou cancelamento).

Gostou desses benefícios? Então assine um dos planos super acessíveis do Eleve Gestão e aproveite todos eles na prática!
Nova call to action

Conclusão

Ao longo deste conteúdo, explicamos em detalhes o que é o CNAB, como funciona, para que serve, quais os benefícios e as diferenças desse instrumento de digitalização da gestão de pagamentos.

Conforme sua empresa crescer, você naturalmente vai identificar a necessidade de evoluir a forma que conduz seus processos.

O CNAB é uma resposta a isso: uma maneira de evitar que seu setor financeiro fique engessado em uma tarefa repetitiva, por meio da aplicação prática de um padrão tecnológico que digitaliza os pagamentos e recebimentos do seu negócio.

Lembre-se que a tecnologia é indispensável na criação de uma rotina administrativa otimizada e agilizada. Para isso, você já sabe: conte com as soluções da Eleve!

Agora, chegando ao fim desse conteúdo, que tal seguir aprendendo mais sobre gestão de negócios? É só continuar de olho aqui no blog!

Aproveite para já conferir nosso conteúdo super completo sobre DBE, ou Documento Básico de Entrada!

contas a pagar e receber fluxo de caixa Gestão Financeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *